Marketing Pessoal – O Guia Final para Transformar o seu nome em uma marca

Tempo de leitura: 15 minutos

Em um mercado cada vez mais competitivo, com mais informações e claro,com mais acesso a tecnologia, trabalhar o seu marketing pessoal deixou de ser um diferencial e se tornou uma necessidade básica para qualquer pessoa que deseja permanecer no mercado.

O conceito de marketing pessoal se assemelha muito ao marketing de uma empresa ou de um negócio, entretanto no pessoal o nosso foco é apenas uma pessoa e já o marketing empresarial foca na organização como um todo e nesse caso o processo de trabalho é muito mais longo e consequentemente caro.

Segundo informações do portal Valor, 77% dos consumidores brasileiros compram algo por terem visto em redes sociais, seja ela diretamente pelas ofertas de grandes varejistas ou pela indicação de amigos e a reportagem ainda comenta que 43% só conheceu uma marca nova através das redes sociais, ou seja, investir em marketing seja online ou offline não é apenas uma necessidade, é uma obrigação para que você consiga fidelizar o seu nome de uma maneira com que atraia mais clientes e gere ainda mais negócios.

Ao ler esse guia completo sobre marketing pessoal você vai descobrir como pode transformar o seu nome em uma marca bem sucedida e que vai fazer parte do dia a dia dos seus clientes e também vai ajudar você a manter melhores contatos com pessoas influentes do seu segmento.

Por que investir tanto em Marketing Pessoal?

Steve JobsAntes de qualquer argumentação que vamos fazer, quero te fazer uma simples pergunta sobre marketing, o que diferencia um ator como Arnold Schwarzenegger de um outro ator como o Wagner Moura?

Bom, independente da nacionalidade de cada um, o primeiro, Arnold é um ator que ganha milhões de dólares a cada filme que participa e acumulou durante sua carreira bem sucedida uma grande fortuna, além de ser mundialmente conhecido como um ator de filmes de ação e guerra com uma pitada de humor, o que deixou ele com algo único e diferente de qualquer outro ator, já o segundo caso, Wagner Moura, apesar de ser um excelente ator não possui um segmento padrão, fazendo todos os tipos de filmes e isso embora ajude o mesmo a aparecer mais, também contribui para não fidelizar a sua imagem a uma “marca em si” e consequentemente acaba fechando contrato de menores valores, existe outros itens que poderíamos destacar ainda sobre esse assunto, mas isso vamos ver ao longo do artigo e considere os quatros motivos listados abaixo na hora de trabalhar no seu marketing pessoal.

  1. As pessoas tendem a decidir se querem ou não trabalhar com você com mais facilidade

O primeiro motivo para você considerar trabalhar melhor o seu marketing pessoal diz respeito a credibilidade que é capaz de passar.Imagine a seguinte situação, você precisa fazer uma cirurgia plástica, a quem recorreria, ao famoso médico Dr.Rey, conhecido mundialmente pelo seu trabalho ou ao Dr.  Oliveira, médico que mora ai na sua rua?

Bom, você pode conhecer muito bem o Dr. Oliveira, afinal ele talvez seja o seu vizinho, porém na hora de decidir com quem vai trabalhar, você ainda vai preferir o Dr. Rey, mesmo que isso lhe custe um pouco mais e tudo isso pois um é capaz de passar muito mais credibilidade que outro.

No seu caso é a mesma coisa, se você passa muito mais credibilidade e confiança que o seu concorrente, as pessoas iram querer trabalhar com você.

2.     Facilidade em diferenciar você dos seus concorrentes

Quando você trabalha a sua imagem, os seus possíveis clientes e outras pessoas do seu segmento acabam conseguindo diferenciar você facilmente dos demais concorrentes.

Quer uma prova disso? Pergunte na rua quantas pessoas conhecem o Neymar e quantas conhecem outros 5 jogadores da seleção brasileira ou de outro time de futebol.

Claro que essa comparação é um pouco absurda, mas podemos levar ela para o nosso dia a dia, imaginando situações mais comuns. Essa mesma facilidade em diferenciar as pessoas, também ocorre com seus possíveis clientes, quando você se destaca no meio da multidão fica muito mais fácil se destacar, se diferenciar dos demais e conseguir mais resultados.

3.    Você pode criar um serviço ou produto exclusivo

Com um nome forte no seu mercado, você pode criar uma série de produtos ou serviços e utilizar a sua marca pessoal para obter mais sucesso. Nesse caso você pode investir o seu nome de duas maneiras distintas.

A primeira maneira para trabalhar o seu nome e criar um negócio a partir dele é desenvolvendo um produto dentro do seu segmento, por exemplo, se você é um chef de cozinha renomado, pode abrir um restaurante com o seu nome, se você é um vendedor de roupa, pode investir em criar uma marca de roupa ou algo semelhante, nesse primeiro item o custo para se começar é um pouco alto, porém o resultado pode ser grande a médio e longo prazo.

No segundo caso você pode investir o seu nome para criar um negócio online, nesse caso se especializar na venda de produtos digitais ou algo semelhante. Por exemplo, se você é um personal trainer pode criar um programa de exercícios para vender através do seu site, com todas as aulas online o que diminuiria gradativamente o seu custo e aumentaria os seus lucros.

Nesse segundo caso o processo de criação é um pouco mais rápido e muito mais barato que um negócio físico, entretanto é preciso saber fazer tudo da melhor maneira possível para conseguir bons resultados. Se você quiser aprender ainda mais sobre esse processo pode baixar o nosso livro digital gratuito “Os 7 Passos para Transformar o Seu Nome em um Produto Digital

4.    Você vende mais e ganha mais

Se o seu nome é mais valorizado no mercado a sua capacidade de gerar vendas e até de ganhar mais dinheiro é muito maior. Não importa o que você oferece e nem o seu número de concorrentes, quando você consegue trabalhar a sua imagem positivamente perante aos consumidores a tendencia que se mantenham fiel a apenas você é muito maior e muitas vezes são capazes de pagar até mais pelo serviço que você oferece, mesmo que o seu concorrente ofereça algo igual e por um valor muito menor.

Os 5 Principais Elementos no Marketing Pessoal

marketing pessoal

Agora que você já sabe a importância de trabalhar a sua imagem é preciso que você conheça um pouco também dos principais elementos no marketing pessoal e como eles ajudam você a conseguir transformar o seu nome em uma marca pessoal.

  1. Defina o seu posicionamento 

Se você já leu a versão gratuita do “Livro Negro do Marketing Pessoal” já deve saber que a primeira coisa a se fazer quando se trabalha com marketing é definir um posicionamento claro e objetivo perante os seus consumidores. O seu posicionamento em si não é apenas sobre o que você oferece, mas sim quem você é afinal, uma pergunta simples a se fazer nesse sentido é: Quem eu sou para os meus clientes?

Para definir o seu posicionamento você precisa pensar primeiro no seu público alvo e não em si mesmo. De uma maneira bem clara, a sua valorização pessoal não é sobre você, mas sim sobre o que você acredita e é capaz de fazer para ajudar quem precisa.

Se você não entendeu nada de posicionamento ainda, é simples, analise todos os seus concorrentes e depois veja, como você pode se diferenciar deles e assim criar algo único e também analise quais os seus valores pessoais  e suas crenças.

Um exemplo prático:

Antes: “Eu sou um vendedor de imóveis com mais de 10 anos de experiência atendendo a todos que precisam”.

Depois: “Eu sou um corretor de imóveis, especializado em imóveis de alto padrão para os clientes mais exigentes”

Na frase acima podemos simplesmente ter definido o posicionamento de um corretor de imóveis que antes atacava para todos os lados tentando vender imóveis e agora trabalha apenas para um seleto grupo de endinheirados.

Nesse exemplo ainda, podemos destacar uma simples ação, antes o corretor era apenas mais um no meio dos milhares que existe, porém ao definir o seu posicionamento, ele é capaz de construir uma marca pessoal sólida e ficar conhecido por trabalhar apenas com imóveis de alto padrão.

2. Seja Encontrado Online

Tão importante quanto definir o seu posicionamento é ser capaz de ser encontrado online, não importa o seu segmento de mercado, nós estamos na era pós digital, isso quer dizer que você não começa mais o seu negócio e vai para a internet, mas sim ao contrário, primeira pensa no que fazer online para depois ir para o offline.

Ao definir o seu posicionamento, recomendamos que você comece uma busca online pelo seu segmento e faça um levantamento dos seus concorrentes e veja o que eles possuem na internet, isso inclui sites, blogs, canais no Youtube, Facebook e outras redes sociais.

Com uma tabela de concorrentes feitas e suas devidas redes sociais, é hora de começar a pensar no que você deve fazer e como se diferenciar de todos os outros.

Uma dica rápida para ajudar você a ser encontrado online é pegar a principal palavra chave do seu segmento, por exemplo “imóveis de luxo” e adicionar ela em todas as suas redes sociais, assim quem buscar por isso no Google poderá encontrando o seu perfil.

3. Você é o que você compartilha

Uma das maiores lições em marketing pessoal voltado na internet que você precisa aprender imediatamente é que você é o que compartilha e por isso é  realmente importante que você tome cuidado com todas as suas redes sociais.

O seu perfil precisa ser atraente e demonstrar claramente o que você quer passar, o seu posicionamento deve ser sempre o mais claro possível para que assim obtenha os melhores resultados e para isso recomendamos que você:

Foto de Perfil: Uma imagem fala mais que 1000 palavras e a sua foto de perfil deve passar o seu posicionamento real, se você é um corretor de imóveis de luxo, uma foto com uma roupa social próximo a algum imóvel luxuoso pode ser interessante, caso seja um chef de cozinha, uma imagem demonstrando você com um bom uniforme e algum prato de comida, pode ser interessante também.

Em um bom resumo desse item, a sua foto de perfil deve mostrar claramente quem é   você  e além disso demonstrar uma versão perfeita do que você tem de diferencial.

Descrição Curta: Em seu perfil lembre-se de adicionar uma descrição curta demonstrando os seus valores, como foi a utilizada no exemplo lá em cima do corretor de imóveis. Algo com no máximo 100 palavras ou até 3 linhas é o suficiente para demonstrar quem você é e também o que pode fazer para ajudar o seu cliente.

Otimize seus dados: Em seu perfil, independente da rede social utilizada, otimize os seus dados, demonstre as suas informações profissionais, formações e até prêmios que pode ter recebido pelos resultados que foi capaz de gerar para clientes anteriores ou até para os seus próprios negócios. Certifique-se de também em seu perfil demonstrar os links para as demais redes sociais ou até para o seu site mesmo, ah e por fim,lembre-se de nunca compartilhar informações comprometedoras.

Conteúdo: Todo o conteúdo que você compartilhar algum conteúdo interessante para a sua audiência. Busque criar um conteúdo em vídeo, imagem ou texto que engaje o seu público alvo e demonstre que você entende dos problemas da sua audiência e pode ajudar eles a terem grandes resultados.

4. Blogs

Criar um blog pode ser interessante para ampliar ainda mais o seu nome, mas saiba que quando falamos em criar um blog, não falamos para compartilhar os seus pensamentos ou ideias, mas sim conteúdo interessante para a sua audiência.

O seu blog pode mostrar um conteúdo de ajuda para o seu público e assim conseguir engajar ainda mais quem lhe segue e valorizar o seu nome, você pode criar artigos no estilo:

5 Dicas para Melhorar o Espaço Interior da sua casa

7 Erros que você comete quando está decorando o seu quarto

Além disso poderá criar outros tipos de conteúdo para a sua audiência, mas sempre focando em ajudar o seu público alvo e não apenas compartilhar o que pensa.

5. Recomendações

Trabalhar no seu marketing pessoal na internet não é como correr uma maratona que chega ao fim e você pode viver no topo, o seu trabalho para conseguir construir um nome de sucesso deve ser um caminho eterno, ou seja, diariamente você deve trabalhar para valorizar cada vez mais o seu nome e consequentemente construir negócios mais sólidos.

Busque trabalhar muito nos aspectos físicos do seu corpo também para melhorar cada vez mais a sua postura também em eventos, viagens e outros lugares importantes que possa se encontrar com o seu público.

Componentes Extras de uma boa marca pessoal

Image by Unsplash from Pixabay

Os próximos itens não são realmente importantes num estagio inicial no marketing pessoal, entretanto podem contribuir muito para que os seus resultados sejam diferentes de outras pessoas do seu segmento.

1. Outras mídias sociais

Dependendo do seu segmento de mercado é válido investir em outras mídias sociais, como Youtube, Instagram, Pinterest e semelhantes mas lembre-se sempre que você é o que compartilha.

Uma dica especial que já podemos dar em relação a mídias sociais é que invista no Instagram, onde basicamente podemos encontrar todos os segmentos dentro da mesma rede social e que se utilizar uma ferramenta como Influx Social poderá ganhar até 5 mil seguidores mensais.

2. Lista de leads / Emails

É interessante que você mantenha uma lista de leads de pessoas interessantes do seu segmento e mantenha um relacionamento com essa lista.

Para ser mais preciso você vai precisar manter alguma ferramenta de email marketing como Lead Lovers, nesse caso deve criar alguma recompensa digital que pode ser oferecida para a sua audiência em troca do email deles e com os emails em mãos você pode manter um relacionamento constante com todos, oferecer um produto ou serviço e consequentemente obter melhores resultados.

3. Elementos gráficos, cartões de visitas 

É importante que você comece a investir em elementos gráficos para a sua marca pessoal, isso inclui manter uma logo, sempre ter cartões de visita na sua carteira, não importa onde for, mantenha sempre alguns cartões com você.

Investir na parte gráfica do seu negócio é algo um pouco chato e trabalhoso porém é preciso, principalmente em eventos onde você frequenta. Uma dica extra é investir na criatividade e criar elementos únicos, mesmo que saia um pouco mais caro normalmente vai chamar muito mais a atenção dos seus possíveis clientes.

O que pode e o que não pode ser feito?

Image by JESHOOTS from Pixabay

Existe algumas coisas que você pode fazer e outras que não pode fazer quando se trata no seu marketing pessoal e algumas delas são:

Não fazer

–  Nunca se referencie a outras pessoas como uma marca pessoal
Não utilize um slogan robótico para demonstrar o seu posicionamento

– Não fale apenas sobre você para outras pessoas, conte boas histórias que envolva o que outras pessoas gostam

–  Nunca altere o seu posicionamento no mercado semanalmente, você deve se adaptar ao mercado mas não mudar de mercado todas as semanas.

–  Nunca tente roubar o valor de outra marca ou alguma empresa que trabalhou, por exemplo, se você trabalhou no Google, pode acrescentar isso em suas declarações porém não pode dizer a todos que construiu o Google.

Deve Fazer

– Use uma linguagem viva e animada no que produz

– Conte histórias sobre o que você já fez durante sua carreira profissional.

– Coloque paixão no que faz, demonstre que ama a sua profissão

– Repita sempre o seu posicionamento quando apresentar um novo produto ou serviço

– Seja consistente no que deseja transmitir, seja consistente tanto no meio online como no offline.

– Pesquise e aprenda diariamente sobre o seu segmento de mercado e isso vai contribuir para que você fique sempre atualizado.

E aí, agora está preparado para construir a sua marca pessoal? Opine nos comentários.

 

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *